ADREPES promove Workshop DLBC RURAL

O Espaço Fortuna acolheu durante a manhã de dia 6 de Maio o Workshop DLBC Rural, uma iniciativa da ADREPES – Associação de Desenvolvimento Regional da Península de Setúbal em parceria com a DRAPLVT – Direção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo e a Rede Rural Nacional.

A sessão de boas vindas esteve a cargo do Presidente da ADREPES, Joaquim Carapeto e do Delegado Regional da DRAPLVT, Manuel Meireles, que deram o mote para o início das comunicações que se dividiram em dois painéis, moderados pelo jornalista Raul Tavares do Jornal Semmais.

O primeiro painel sobre a Execução e Avaliação da Estratégia DLBC RURAL na Península de Setúbal foi da responsabilidade da Diretora Executiva da ADREPES, Natália Henriques que apresentou os resultados da avaliação intercalar, com enfoque na superação dos indicadores contratualizados para 2018 para os três fundos que a consubstanciam FEADER, FEDER e FSE. Seguiu-se a apresentação da Secretária Geral da AMRS – Associação de Municípios da Região de Setúbal, Sofia Martins, que abordou as problemáticas e implicações territoriais com a extinção da NUT III – Península de Setúbal e a sua necessidade de revisão para o próximo Quadro Comunitário de Apoio.

O segundo painel dedicado a matérias de natureza mais agrícola abordou três temáticas distintas, a primeira relacionada com a importância da recolha de informação estatística para o Recenseamento Agrícola 2019, que teve como orador Carlos Carvalho do INE – Instituto Nacional de Estatística. A segunda versou sobre o Plano de Contingência da Xylella Fastidiosa da responsabilidade de Eufémia Capucho e por último foi abordada a Segurança na Condução de Tratores Agrícolas por Virgílio Santos, ambos da DRAPLVT.

O encerramento do evento foi realizado pelo Presidente da ADREPES e pela representante da DRAPLVT, Ana Alberty, que destacaram nas suas conclusões a importância do trabalho em parceria para a consolidação e projeção da Península de Setúbal como uma região estratégica do país. Por outro lado o Presidente da ADREPES salientou ainda  o facto do mundo rural ser mais do que o espaço agrícola, que a agricultura é fundamental para a identidade e economia rural, que os programas de desenvolvimento local devem ser co-desenhados de acordo com a abordagem LEADER (botton up)  e que as iniciativas meramente orientadas para a criação de emprego, como o SI2E, não contribuem para a criação de sinergias nem para uma atuação holística do território.

Os cerca de 40 participantes tiveram ainda a oportunidade de degustar na pausa de sabores, alguns produtos emblemáticos do nosso território como os miminhos de maçã riscadinha, as fogaças de Palmela, os queijos de Azeitão, o pão da Quinta do Anjo, entre outros, que evidenciam a qualidade e diversidade dos produtos da região.